terça-feira, 17 de setembro de 2013

10 grandes pilotos de Fórmula 1 e suas histórias... Piloto 4 Alain Prost

   Ele foi o principal arque-rival de Ayrton Senna, é dito por ser tão veloz quanto o tri-campeão brasileiro. Tetra-campeão mundial só não foi penta por meio ponto em 1984 e porque encerrou a carreira quando ainda dominava a categoria. Para muitos europeus é o melhor piloto da história da categoria, mas no confronto direto com Senna perdeu duas vezes. Também disputou títulos com Nelson Piquet e foi o algoz de Nigel Mansell em 1986. O piloto 4 dos "10 grandes" da categoria é ninguém menos que Alain Prost.
Prost fez uma estreia sem graça correndo pela McLaren em 1980
   O início: Alain Prost fez sua estreia na Fórmula 1 em 1980 aos 25 anos de idade guiando pela McLaren. Na época a equipe não era tão consagrada como veio a ser no final da década, vista como equipe média que outrora conseguiu alguns títulos na categoria. Prost terminou apenas 7 corridas, marcou 5 pontos e considerado esperto por suas boas negociações conseguiu vaga na equipe Renault na temporada seguinte. A escuderia crescia a cada temporada e tinha como ponto forte os poderosos motores turbo. 
Contudo em 1981 já começava a vencer correndo pela Renault
   Prost já podia brigar por vitórias e impressionou ao vencer 3 das 6 corridas que terminou naquele ano, em todas subiu no pódio e calou os críticos da temporada anterior. Em 1982 já prometia lutar pelo título mundial e venceu as duas primeiras corridas da temporada. Contudo os problemas de quebra do motor voltaram a lhe afetar e o francês abandonou metade das corridas daquele ano ficando fora da disputa pelo título. Em 1983 a Renault trazia um carro mais confiável. Um ano sem equipes dominantes Prost foi o destaque ao lado de Piquet, venceu três corridas e era o favorito ao título, que acabou perdendo por abandonar a última prova. 
 Prost deixou escapar dois títulos no início da carreira, um deles para Piquet
   A falta de experiência também lhe cobrou caro na temporada seguinte, em 1984. Alain Prost voltava para a McLaren agora também com motores turbo e muito mais forte que na temporada de 1980. Considerado como o carro mais confiável do ano Prost venceu incríveis 7 corridas, contudo em uma delas, no GP de Mônaco ao temer perder a vitória para um certo Ayrton Senna pediu a paralisação da corrida antes de sua metade. Os pontos foram divididos ao meio e fez muita falta no fim do ano, pois por meio ponto ele deixava novamente de ser campeão, dessa vez para o seu próprio companheiro de equipe Niki Lauda.
   O auge: Depois de perder dois títulos mundiais, Alain Prost não deu chances pros adversários em 1985. Vencendo 5 corridas e vendo os adversários tirarem pontos uns dos outros, Prost conseguiu um dos títulos mais fáceis da Fórmula 1 sendo o único piloto naquela temporada a vencer mais de 2 corridas. 
   Em 1986 Prost finalmente começara a temporada como campeão e ganhou o apelido de "O professor". A equipe Williams possui os potentes motores Honda que consumiam menos combustível, a potente suspensão ativa e um certo Nelson Piquet como piloto e que ajudou a projetar o carro. O ano viu também novas estrelas como Ayrton Senna e Nigel Mansell darem um show na pista e andarem constantemente na frente do francês. Há 5 corridas do fim o francês era o 4º na pontuação do campeonato e ainda se dizia como favorito ao título. 
Prost tirou o título de Mansell em 1986
   Muitos debocharam e Prost provou de maneira inacreditável o quanto era experiente. Das últimas 5 corridas Senna terminou só 2. Piquet e Mansell ainda vinham fortes, mas um tirava os pontos do outro e em um duelo interno na última corrida ambos acabaram com seus pneus. Mansell favorito ao título abandonou e Piquet foi superado por Prost que venceu e por 2 pontos tirou o título de Nigel Mansell. Dando uma aula no adversário da Williams.
    Em 1987 Prost, junto com a McLaren se renderam ao domínio dos carros da Williams e não disputaram o título. Mas o francês prometia vir com tudo nos anos seguintes. E foi o que aconteceu. Em 1988 o carro da McLaren era disparado o melhor, e Alain Prost tinha de novo chances de vencer o campeonato. Só não contava com seu companheiro de equipe... um certo Ayrton Senna. Prost e Senna fizeram entre 1988 e 1990 a maior disputa entre dois pilotos jamais vista na Fórmula 1. 
Após ser superado por Senna em 1988, Prost não aceitaria o vice em 1989
   Prost era mais maduro, contudo Senna mais rápido e assim ambos fizeram um duelo incrível. Em 1988 Senna superou tudo e todos, inclusive Prost e venceu o campeonato. No ano seguinte foi a vez do piloto francês dar uma aula no piloto brasileiro. Os motores turbo já não eram permitidos na categoria e a McLaren não evoluíra em relação ao ano anterior. Sem querer acreditar nisso, Senna resolveu acelerar mais do que devia e abandonou várias corridas. 
   Correndo na dele, Prost venceu apenas 4 corridas, mas terminou quase todas. Sempre com bons resultados e ainda tirou de forma feia a última chance de Senna disputar o campeonato ao jogar o carro em cima do piloto brasileiro no GP do Japão. Ainda assim Senna se recuperou e venceu a corrida. Prost foi além e mandou punirem o piloto brasileiro. Assim foi feito e Prost se tornará o primeiro tri-campeão pela McLaren e foi considerado como um dos grandes nomes dos anos 80. 
   A má fase na Ferrari: Cansado de correr na mesma equipe que Senna, um adversário a altura. Prost resolveu ir para a Ferrari, fazendo sua estreia em 1990 pela equipe vermelha que prometia dar a ele o melhor carro da temporada. Contudo o piloto francês acabava de dar um "tiro no pé". Seu companheiro de equipe seria Nigel Mansell ainda magoado pela perda do título de 1986. A Ferrari tinha um carro forte, contudo não era superior ao carro da McLaren. A equipe teve que refazer todo o carro que só ficou pronto depois de 5 corridas disputas. Senna como principal piloto da McLaren já tinha 3 vitórias e 17 pontos de vantagem para Prost. 
Na Ferrari Prost perdeu o título para Senna em 1990
   O francês com a Ferrari atualizada teve que correr contra o tempo e acelerar o máximo possível, enquanto Senna dava uma aula no professor administrando as corridas e terminando sempre entre os 3 primeiros. No fim o piloto brasileiro já poderia ser campeão na penúltima corrida da temporada. Prost tinha o carro mais rápido e saiu na frente no Japão. Senna tentou passar, mas o piloto francês tacou o carro em cima do brasileiro. Dessa vez Senna agradeceu, não tirou o pé e atropelou Prost. Com o abandono o francês perdia chances de título e pediu para que a licença de Senna como piloto fosse caçada. O pedido foi recusado e Senna continuava na Fórmula 1. Agora como bi-campeão mundial. 
Em 1991 a Ferrari andava pra trás e Prost desistia da equipe
   Prost prometia se vingar em 1991. Foi aí que surgiu sua pior temporada na categoria desde sua estreia na Renault. A Ferrari vinha com um carro totalmente novo e atualizava o câmbio semi-automático, também trocava o resmungão Mansell pelo jovem compatriota de Prost, Jean Alesi. Prost se dizia novamente como o favorito ao título, mas não teve chances contra Senna nas duas primeiras corridas da temporada. O novo carro da McLaren era realmente muito potente e Senna vinha mais motivado do que nunca. 
   Pra piorar a Williams vinha com carro que evoluía a cada corrida e Mansell com a faca nos dentes atrás de um título. A Ferrari tentou contra-atacar mas ia de mal a pior na temporada, até Prost resolver desisti da equipe e sair pelas portas do fundo. O francês passou a ser considerado como o "mimadinho" da categoria, enquanto Senna era o novo rei do ciclo. Mas Prost prometia dar a volta por cima.
   O adeus com chave-de-ouro: Prost ficou fora da categoria em 1992 e muitos já achavam que ele iria encerrar a carreira. Contudo o francês surpreendeu a todos ao retornar em 1993 no lugar de Riccardo Patrese na Williams, lugar que seria de Ayrton Senna. A equipe inglesa não só passava a ter o câmbio semi automático que antes era utilizado pela Ferrari, como também possuía a suspensão eletrônica e vencia o campeonato anterior de forma simplesmente arrasadora com Nigel Mansell. Sem se esforçar Prost venceu a primeira corrida. 
De volta à F1, Prost se consagrou tetra-campeão em 1993 correndo pela Williams
   Ayrton Senna tentou reagir correndo no limite, contudo sua McLaren agora com motores Ford já não era mais nem sombra da McLaren de dois anos antes e Senna simplesmente não teve chances contra o piloto francês. Prost venceu 7 das primeiras 10 corridas, confirmou o tetra-campeonato e anunciou a aposentadoria no fim da temporada. Antes de se despedir o inesperado, um abraço amigável em Senna antes deles subirem ao pódio no Grande Prêmio da Austrália, último de ambos.


Um comentário:

oceano uerj disse...

Cara ótimo blog, bem interessante as histórias, vc só tem que parar com esse '' um certo Ayrton'' um certo piquet, fica repetitivo e o interessante tem que ser o fato a disputas não essas entonações do trexto, mas o blog tá muito bom parabéns